Sandra Loffreda
Olá, pessoas queridas!

Estava agora mesmo lendo um texto sobre intolerância, do projeto eu sou gay e pensando como gostaríamos que a nossa verdade fosse a palavra de ordem do universo, não é mesmo?

Que bom seria se todos pensassem como eu. Se todos gostassem do que eu gosto.

Será mesmo?

Será que seríamos mais felizes num mundo homogêneo, de mesmices e igualdades inquestionáveis?

Tenho quase certeza que não. O que faz do ser humano essa peça maravilhosa da natureza, creio eu, é justamente a diversidade. 

O aprendizado é rico onde há diferenças. O alemão aprendendo a sambar e o negro comendo tofu.

O que eu não conheço, ou mesmo não simpatizo, pode ser o melhor livro disponível ao meu crescimento.

Sinto muito orgulho por ser uma pessoa livre, quase totalmente, do sentimento de intolerância. Sim, "quase", porque não tolero o amarelo, e mesmo assim, ele contribui de maneira grandiosa para o equilíbrio dos meus trabalhos.

Bom, o meu recado aqui, hoje, é: seja gay, negro, gordo, mulher, judeu, muçulmano, etc, não esqueça que somos humanos, logo, IGUAIS, em essência e na condição de imperfeitos.

Amor de iguais - aquarela - 2009
Beijo, beijo, beijo!
Adorei você aqui!

5 Responses
  1. Temos que ser diferentes, Deus quis assim. O importante seria se todos fôssemos semelhantes à Deus, ou se buscássemos isso, porque somos pecadores nunca nos igualaremos ao nosso Pai, mas seguir sEu caminho nos torna pessoas melhores...

    beijinhus, Mayana

    baonilha.blogspot.com


  2. Sandra, assim como você eu não tolero a intolerância. Tenho alergia à preconceitos.
    Tenho procurado evoluir humana e espiritualmente, de verdade. Porque acredito que viemos ao mundo para vivermos coisas boas,sermos felizes.
    Beijos.


  3. An@ Says:

    Sandra ... concordo: somos todos iguais!
    "O aprendizado é rico onde há diferenças" - Bem verdade!

    Bonito quadro... gostei do post.

    Beijos
    Um dia feliz


  4. Eva Says:

    Sandra hoje antes de vir pro trabalho estava comentando nesse post, caiu um raio bem na hora e desligou tudo eheh, tá a maior chuva aqui, afff. A diferença nos desafia à renovação, a zona do conforto é provadamente prejudicial ao crescimento, precisamos de uma sacudida para oportunizar outros olhares, é preciso ter cautela ao julgar, não devemos, pois não entender tudo pode ser apenas uma questão de ritmo, viver bem é respeitar o próprio ritmo e o dos outros. beijos.


  5. rei Says:

    Parabéns pelo texto. Concordo plenamente contigo, e me orgulho de poder desfrutar de sua companhia... Bjs pra minha artista preferida.

    Carlos.


Postar um comentário